A Usina Hidrelétrica Belo Monte e o direito à cidade na Amazônia: O caso da Lagoa do Independente I em Altamira, Pará (Brasil)

Claudia Medeiros, José Herrera

Resumo


A implantação de hidrelétricas na Amazônia promove dinâmicas socioespaciais e desigualdades socioeconômicas e ambientais. A instalação e construção da UHE Belo Monte foi essencial para a requalificação urbana na cidade de Altamira e a reestruturação de seus espaços. Neste contexto e na perspectiva de contribuir para a compreensão das transformações urbanas, através da análise bibliográfica, documental e de entrevistas com moradores da Lagoa do Independente I, os esforços desta pesquisa foram direcionados para a reflexão a propósito do aumento populacional e sua correlação com a instalação da usina. A preocupação foi orientada sobretudo para a degradação socioambiental a as condições de vida da população, tomando como conceito chave o de direito à cidade.

Palavras-chave: Dinâmicas socioespaciais; desigualdades socioeconômicas; direito à cidade.

http://dx.doi.org/10.17127/got/2020.19.007

Data de submissão: 2019-10-23

Data de aprovação: 2020-27-05

Data de publicação: 2020-06-30


Texto Completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Entidades Patrocinadoras